Goiânia: Cerca de 13 mil idosos devem ser vacinados até o final da semana

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Cerca de 12 mil pessoas devem ser imunizadas até o final desta semana.
  • A imunização acontece nos dias 10, 11 e 12 de fevereiro em nove pontos da capital, das 8h às 17h, por organização alfabética.
  • Todos os 54 mil idosos no Estado de Goiás acima de 85 anos de idade vão ser contemplados.

Em Goiânia, o superintendente de vigilância em saúde, Yves Ternes, afirmou, durante abertura de vacinação à população acima de 85 anos na área 1 da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, que cerca de 12 mil pessoas devem ser imunizadas até o final desta semana.

Segundo informações, foi feita uma divisão, de mais ou menos 600 pessoas por ponto de vacinação, com a estimativa de que 12 mil idosos sejam vacinados nesta etapa e foram recebidas cerca de 16 mil doses.

A imunização acontece nos dias 10, 11 e 12 de fevereiro em nove pontos da capital, das 8h às 17h, por organização alfabética. Inicialmente, estão sendo vacinados idosos, cujos nomes tenham início da letra “A” a letra “I”. O superintendente alegou ainda que, embora se concentre um maior número de pessoas no Shopping Passeio das Águas e área 1 da Puc de Goiás, a vacinação vai acontecer de forma tranquila, sem gerar transtorno para a população.

Sobre a vacinação, o governador Ronaldo Caiado, explicou que nesta fase, todos os 54 mil idosos no Estado de Goiás acima de 85 anos de idade vão ser contemplados.

Por: Morgana Kelly

Goiás: Tribunal de Contas e o Ministério Público divulgam avaliações nos sites das prefeituras e Câmaras

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • O TCM e o Ministério Público realizaram avaliações das prefeituras e Câmaras, nos sites, divulgando-as por meio de um ranking que mostra e compara os resultados.
  • Desde 2011, quando a lei de acesso à informação entrou em vigor.
  • Todas as instituições que recebem verbas públicas são obrigadas a dar transparência de forma detalhada sobre seus gastos e receitas.

O Tribunal de Contas dos Municípios, o TCM e o Ministério Público realizaram avaliações das prefeituras e Câmaras, nos sites, divulgando-as por meio de um ranking que mostra e compara os resultados. Desde 2011, quando a lei de acesso à informação entrou em vigor, todas as instituições que recebem verbas públicas são obrigadas a dar transparência de forma detalhada sobre seus gastos e receitas.

No último ranking divulgado pelo Tribunal em março de 2020, várias prefeituras se destacaram de forma positiva: dos 246 municípios goianos, 9 obtiveram nota máxima. São eles: Britânia, Caçu, Diorama, Divinópolis, Doverlândia, Faina, Fazenda Nova, Paraúna e São Francisco.

Considerados unicamente os municípios com mais de 100 mil habitantes, o topo do ranking foi ocupado respectivamente pelas prefeituras de: Goiânia, Trindade, Valparaiso e Rio Verde, todas neste grupo com nota superior a 9.

Já as que mais perderam desempenho em comparação à avaliação anterior foram as prefeituras: de Ipameri, Córrego do Ouro, Campinorte e Alexânia. Com destaque mais negativo para Ipameri, que caiu 220 posições. O TCM deve realizar outra avaliação nos sites de todas as Câmaras e prefeituras e afirma ser de extrema importância que os cidadãos goianos fiscalizem e cobrem bons resultados de seus administradores.

Por: Morgana Kelly

Decisão da Justiça Federal obriga Detrans a voltarem a emitir documentação de veículos em papel

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A Justiça Federal, determinou que os Detrans de todo o país voltem a emitir a versão em papel do CRLV.
  • A decisão do Judiciário atende um recurso proposto por algumas entidades de classe, como o CFDD/BR.
  • Ele destacou que o documento apenas digital deixa o motorista mais vulnerável a erros no sistema ou ação de hackers.

Em decisão liminar, a Justiça Federal, determinou que os Detrans de todo o país voltem a emitir a versão em papel do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV). A medida suspende os efeitos de uma portaria do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada no fim do ano passado, que passou a obrigar a emissão da documentação apenas no modelo digital.

A decisão do Judiciário atende um recurso proposto por algumas entidades de classe, como o Conselho Federal dos Despachantes Documentalistas do Brasil (CFDD/BR), que alagaram que a determinação do Contran viola uma Lei federal, que vai começar a vigorar em 12 de abril deste ano, que assegura a disponibilização do documento de acordo com a escolha do dono do veículo, seja em papel ou eletrônico.

Na deliberação da ação, a desembargadora responsável informou que não é contra a digitalização dos documentos, mas que quer dar uma opção aos milhões de brasileiros que não tem acesso à internet e não possuem um smartphone. O professor e proprietário de veículo, Cristiano Corado, afirmou que concorda com a decisão da Justiça.

Ele destacou que o documento apenas digital deixa o motorista mais vulnerável a erros no sistema ou ação de hackers. E reforçou que ter em mãos o verdinho facilita bastante e oferece mais segurança, como para evitar golpes e falsificações. A liminar tem eficácia imediata e fica valendo até que a ação original, que tramita na primeira instância da Justiça Federal de Santa Catarina, seja julgada.

Por: Morgana Kelly

Comércio varejista goiano cai em 2020 após dois anos seguidos de crescimento

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • O comércio varejista goiano caiu mais de 2% em 2020 após dois anos seguidos de crescimento.
  • Só em dezembro a queda no varejo foi de quase 3% e registrou o quarto pior resultado consecutivo.
  • Já a nível nacional, o varejo teve queda de mais de 6% em dezembro do ano passado.

O comércio varejista goiano caiu mais de 2% em 2020 após dois anos seguidos de crescimento. É o que mostrou a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada nesta quarta-feira, pelo IBGE. O recuo foi pressionado pela baixa de mais de 20% nas vendas de tecidos, vestuário e calçados; além de outras atividades como hipermercados e produtos alimentícios e também livros e papelaria.

Só em dezembro a queda no varejo foi de quase 3% e registrou o quarto pior resultado consecutivo. Cenário que segundo o chefe do IBGE em Goiás, Edson Roberto Vieira, foi influenciado pela alta na inflação do país que levou ao encarecimento dos produtos, e fez com que o consumidor, por exemplo, esvaziasse o carrinho de compras na hora de ir ao supermercado, já que itens básicos como um pacote de 5 quilos de arroz, 1 litro de óleo e 5 quilos de açúcar passa em média, dos R$ 50 reais.

Ele destacou também outros motivos como o desemprego e a perda da renda e poder de compra do cidadão, devido, por exemplo, pelo fim do pagamento do Auxílio Emergencial.

Por outro lado, apesar do cenário geral negativo, as vendas de material de construção aumentaram quase 23% e alcançou a oitava alta consecutiva do ano, sendo o melhor resultado desde 2010. Também houve crescimento no comércio varejista de artigos farmacêuticos e móveis e eletrodomésticos. Já a nível nacional, o varejo teve queda de mais de 6% em dezembro do ano passado.

Por: Morgana Kelly

Anvisa alerta que depois de receber vacina contra a Covid-19 é preciso esperar um tempo para poder doar sangue

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A Anvisa divulgou nota técnica para alertar uma inaptidão temporária para poder realizar a doação de sangue depois de receber a vacina contra a Covid-19.
  • Quem for imunizado com a Coronavac, deve aguardar o período de dois dias para doar de sangue.
  • Já no caso da vacina da Astrazeneca é recomendado que a pessoa espere pelo menos sete dias.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota técnica para alertar uma inaptidão temporária para poder realizar a doação de sangue depois de receber a vacina contra a Covid-19. De acordo com o documento, quem for imunizado com a Coronavac, deve aguardar o período de dois dias para doar de sangue. Já no caso da vacina da Astrazeneca é recomendado que a pessoa espere pelo menos sete dias.

No entanto, independentemente do tipo de imunizante, caso o vacinado apresente qualquer tipo de reação à dose, é necessário que a pessoa estenda o prazo de inaptidão para doar sangue, de dois a sete dias a mais, depois do fim dos sintomas. No entanto, o Hemocentro Estadual, reforça que é essencial a manutenção das doações voluntárias de sangue, durante o período de vacinação do Coronavírus, mas claro, seguindo a recomendação da Anvisa.

Para poder realizar uma doação é preciso estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 60 anos; pesar no mínimo 50 quilos; ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas e estar alimentado. É importante lembrar que menores de 18 anos só doam mediante apresentação de formulário de autorização. A diretora-geral do Hemocentro, Denyse Goulart, destacou que a unidade recebe doações de qualquer tipo de sangue e que o estoque está baixo. Ela reforçou que o ato pode salvar vidas.

O Hemocentro fica na Avenida Anhanguera, n° 5195 no Setor Coimbra em Goiânia e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h da tarde. O interessado pode agendar uma doação ou obter maiores informações pelo: 0800 642 045.

Por: Morgana Kelly

1 2 3 4 10