CNBB: Administração anuncia implementação de modelo semipresencial de trabalho

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Uma operação da Polícia Civil de Goiás desarticulou uma quadrilha especializada na venda irregular de remédios experimentais contra a Covid-19.
  • O remédio de alto custo está em falta no mercado convencional.
  • A Operação Nisi Facilis foi deflagrada entre abril e maio deste ano.

Em Brasília, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil a CNBB, a partir da segunda quinzena de junho, vai ser aplicado um modelo de trabalho semipresencial para algumas equipes administrativas, o anúncio do modelo híbrido foi feito durante reunião virtual na manhã da última sexta-feira, 28 de maio, convocada pelo Secretariado Geral da entidade.

Após mais de um ano com o trabalho remoto implementado para as rotinas administrativas, o Comitê de Administração da CNBB percebeu alterações na produtividade e na dinâmica de comunicação entre as equipes de trabalho, cuja fluidez é maior no convívio presencial dentro da entidade. O trabalho semipresencial já funciona há alguns meses para um grupo de colaboradores essenciais no funcionamento da sede, como cozinha, serviços gerais e tecnologia da informação. Mas não estava aplicado para o conjunto de equipes administrativas.

O objetivo é que a presencialidade traga de novo a dinâmica de comunicação que foi perdida em algumas situações.

Junto com o retorno de algumas atividades presenciais serão estabelecidas reuniões de controle com os setores, no sentido de estabelecer planos de ações para melhoria contínua e dinâmica de metas, objetivos, ações e acompanhamento dentro de cada setor. Os encontros terão início na próxima quarta-feira, 2 de junho, com as áreas contábil, financeira, de Tecnologia da Informação e Recursos Humanos.

Diante deste cenário, o Gabinete de Crise que foi instalado em 2020 para auxiliar no enfrentamento das consequências da pandemia tem seguido o mesmo princípio de buscar a sustentabilidade da instituição, a manutenção dos empregos e a segurança dos colaboradores.

Por: Morgana Kelly

Goiás: Grupo é desarticulado por venda irregular de remédios experimentais contra Covid-19

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Uma operação da Polícia Civil de Goiás desarticulou uma quadrilha especializada na venda irregular de remédios experimentais contra a Covid-19.
  • O remédio de alto custo está em falta no mercado convencional.
  • A Operação Nisi Facilis foi deflagrada entre abril e maio deste ano.

Uma operação da Polícia Civil de Goiás desarticulou, na última semana, uma quadrilha especializada na venda irregular de remédios experimentais contra a Covid-19. A Operação Nisi Facilis foi deflagrada entre abril e maio deste ano.

Segundo informações, o remédio de alto custo está em falta no mercado convencional e a investigação apontou que o medicamento era comercializado pelos criminosos diretamente com familiares das vítimas, através das redes sociais.

A investigação revelou também que uma caixa do medicamento de 200mg custa aproximadamente R$ 775 no mercado regular, mas estava sendo vendido por criminosos atravessadores por mais de R$ 18 mil. Em determinados casos, uma caixa vendida no mercado convencional por R$ 6 mil, chegou a ser comercializada por R$ 48 mil, preço seis vezes acima do convencional.

No total, sete pessoas foram presas, e estas possuíam atividades distintas dentro da associação criminosa. Umas eram responsáveis pelo fornecimento do medicamento, outras pela intermediação entre fornecedores e revendedores finais. Os remédios eram oferecidos em páginas específicas na internet, destinadas exclusivamente à aquisição destes produtos.

Além de amostras do medicamento apreendidas em poder dos investigados, também foram localizados e apreendidos itens da droga Propovan (Propofol), utilizada para a sedação de pacientes em procedimentos cirúrgicos, produto que compõe o kit intubação, muito utilizado em determinados procedimentos para tratamento da Covid-19 em casos avançados, e também em falta no mercado, bem como aproximadamente R$ 11 mil em espécie e receituários de medicamentos de uso controlado em branco.

Todos os investigados foram indiciados por associação criminosa e crime contra a saúde pública, que é equiparado à adulteração de medicamento consistente no comércio ilícito de medicamentos e a pena pode chegar a 15 anos de prisão.

Por: Morgana Kelly

Anápolis: Cerca de 200 bairros podem ficar sem água nesta segunda e terça

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Em Anápolis, nesta segunda-feira, cerca de 200 bairros podem ficar sem água.
  • O motivo é uma interligação da Estação de Tratamento de Água da cidade para uma estação compacta.
  • Após a conclusão do serviço, o abastecimento deve ser retomado gradualmente.

Em Anápolis, nesta segunda-feira, cerca de 200 bairros podem ficar sem água. O motivo é uma interligação da Estação de Tratamento de Água da cidade para uma estação compacta.

Segundo a Companhia de Saneamento de Goiás, a Saneago, só vão ser afetados imóveis que não possuem caixa d’água. Após a conclusão do serviço, o abastecimento deve ser retomado gradualmente. Nos bairros mais altos e distantes da Estação de tratamento, poderão ocorrer períodos de instabilidade até a noite de terça-feira, dia 1º de junho.

A companhia informou também que caso o abastecimento não retorne no prazo previsto, a população pode entrar em contato pela Central 0800 6450 115 para que equipes verifiquem a situação. Entre os bairros do município que podem ficar sem água, estão: Adriana Parque, Alto da Bela Vista, Anápolis City, Andracel Center, Anexo Antônio Fernandes, Anexo Itamaraty, Bairro Alvorada, Bairro Antônio Fernandes, entre outros.

Por: Morgana Kelly

1 2 3 11