Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, da CNC revelou que aumentou o endividamento entre as famílias mais pobres e diminuiu para as mais ricas.
  • O percentual de famílias com dívidas atingiu 67% em julho.
  • A pesquisa revelou também que sobre as dívidas e contas em atraso o percentual alcançou mais de 26%.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revelou que aumentou o endividamento entre as famílias mais pobres e diminuiu para as mais ricas.

O percentual de famílias com dívidas atingiu 67% em julho, alcançando o maior nível da série histórica do levantamento. Com isso, em meio à crise econômica gerada pela Covid-19, nos lares com renda de até 10 salários mínimos as dívidas cresceram de quase 61% em junho para recorde de 69% em julho. Por outro lado nas famílias com renda superior houve redução, de quase 61% em junho para 59% em julho.

O levantamento feito com mais de 18 mil consumidores mostrou que a dívida mais comum entre os brasileiros é do cartão de crédito, financiamento de carro ou casa. A dona de casa, Ana Paula Monteiro, afirma que a cada dia fica mais difícil pagar as contas do mês. A pesquisa revelou também que sobre as dívidas e contas em atraso o percentual alcançou mais de 26%, o maior valor desde setembro de 2017.

Por: Morgana Kelly

Write a Reply or Comment