Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Dados divulgados pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Goiânia mostram que para 42% dos brasileiros a pandemia aumentou o nível de gastos.
  • Outros ramos do comércio passaram sufoco, já que o consumidor diminuiu diversos gastos, como na compra de eletrodomésticos, serviços de beleza, eletrônicos, dentre outros.
  • A diminuição da renda da população e a insegurança do consumidor em relação há quanto tempo à pandemia vai durar, são fatores que devem continuar afetando as vendas no comércio goianiense.

Dados divulgados pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Goiânia (CDL) mostram que para 42% dos brasileiros a pandemia aumentou o nível de gastos. Um dos motivos seria, por exemplo, a despesa com supermercado que aumentou 55%, em comparação ao período antes da Covid-19. Em contrapartida, outros ramos do comércio passaram sufoco, já que o consumidor diminuiu diversos gastos, como na compra de eletrodomésticos, serviços de beleza, eletrônicos, dentre outros.

De acordo com o levantamento, só no vestuário a queda foi de 63% entre os entrevistados. O Gerente de Negócios da CDL na capital, Wanderson Lima, afirma que as vendas do comércio varejista de Goiânia sofreram impactos negativos, e na maioria dos casos o atendimento por meio de plataformas digitais e delivery foi alternativa essencial para que muitas empresas continuassem trabalhando. Ele destaca que após a remotoda das atividades econômicas, o seguimento está conseguindo respirar.

Ele ressaltou ainda que a diminuição da renda da população e a insegurança do consumidor em relação há quanto tempo à pandemia vai durar, são fatores que devem continuar afetando as vendas no comércio goianiense.

                               Por: Anna Karolina com supervisão de Morgana Kelly

Write a Reply or Comment