Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Em Goiás, a passagem de uma frente fria, que avança pela região Sudoeste do País, tem mudado o cenário dos dias.
  • Com, no mínimo, dois meses de seca pela frente, 40,54% do território goiano já enfrenta seca grave ou extrema.
  • Desde o fim de semana, há mais nebulosidade e regiões de instabilidade, com possibilidade de chuvas isoladas, especialmente no Sul do Estado.

Em Goiás, a passagem de uma frente fria, que avança pela região Sudoeste do País, tem mudado o cenário dos dias. Desde o fim de semana, há mais nebulosidade e regiões de instabilidade, com possibilidade de chuvas isoladas, especialmente no Sul do Estado.

Com, no mínimo, dois meses de seca pela frente, 40,54% do território goiano já enfrenta seca grave ou extrema. Isso representa 136 mil quilômetros quadrados (km²) do Estado. É o que apontam dados do último mês de maio tabulados pelo Monitor de Secas, da Agência Nacional das Águas (ANA). No Estado, o período chuvoso começa apenas em outubro.

Diante disto, a região mais afetada de Goiás, até agora, é a Sudoeste. O extremo Oeste do Estado, na divisa com o Mato Grosso, e a divisa entre os Estados de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, são onde a seca já é considerada extrema, Cidades como Baliza e itajá estão com umidade relativa do ar na casa dos 30%. O ideal é que ela fique acima de 60%.

Em Goiânia, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), essa semana vai iniciar com muitas nuvens e pode até haver pancadas de chuvas isoladas. A influência da frente fria contribuiu com a umidade do ar, que pode chegar a 75% – média atípica durante o período de estiagem. Já a temperatura varia entre 18º e 33º C e a possibilidade de chuva persiste na quarta-feira e sexta-feira.

Por: Morgana Kelly

Write a Reply or Comment