Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A segunda edição da Radiografia do Agro em Goiás mostrou a diversidade da produção no Estado, sua relevância interna e externa e oportunidades de crescimento.
  • O agronegócio goiano é bastante competitivo já na conhecida força na produção de soja, milho e carnes e em outros produtos.
  • Goiás possui 17 atividades agropecuárias entre as primeiras posições no ranking nacional de produção.

O agronegócio goiano é bastante competitivo já na conhecida força na produção de soja, milho e carnes e em outros produtos. A segunda edição da Radiografia do Agro em Goiás, com dados disponibilizados com referência até dezembro de 2020, mostrou a diversidade da produção no Estado, sua relevância interna e externa e oportunidades de crescimento.

Como iniciativa do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a publicação traz mapas, gráficos e números relativos a 49 itens da pauta do agro, destacando fatores como produção, área plantada, produtividade, comercialização, municípios produtores e destinos das exportações.

A segunda edição do estudo revela que Goiás possui 17 atividades agropecuárias entre as primeiras posições no ranking nacional de produção. O Estado liderou o cultivo de sorgo, tomate e jabuticaba no País. Ocupava o segundo lugar entre os Estados produtores de girassol, cana-de-açúcar, alho e rebanho bovino.

Com soja, milho, palmito, pequi e borracha, estava em terceiro lugar, em 2020. Com algodão, melancia e couro curtido, em quarto. E em quinto, com feijão e cebola.

A nova Radiografia apontou, ainda, que a produção local tem muito espaço para crescer. A demanda por itens como mamão, abacate, manga e outros, nas Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa), já supera o volume produzido no Estado.

Por: Morgana Kelly

Write a Reply or Comment