Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB e a Cáritas Brasileira, vão promover uma missa em tributo às vítimas da Covid-19 com o tema “Para Cada Vida”.
  • A celebração conta com o apoio do projeto Verificado, uma iniciativa global da Nações Unidas.
  • A cerimônia religiosa vai ser no cenário de uma das sete maravilhas do mundo, o Cristo Redentor e o encerramento vai contar com um show da cantora Alcione.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB e a Cáritas Brasileira, vão promover na próxima quarta-feira, dia 1◦ de julho, uma missa em tributo às vítimas da Covid-19 com o tema “Para Cada Vida”.

A celebração conta com o apoio do projeto Verificado, uma iniciativa global da Nações Unidas, que busca fomentar os canais de comunicação com informações verificadas e transmitidas pela ONU envolvendo os temas de ciência, solidariedade e soluções, combatendo assim, as desinformações em meio a pandemia do novo Coronavírus.

A celebração será transmitida ao vivo no YouTube e vai trazer mensagens de: solidariedade às famílias fortemente afetadas pelas perdas nesta pandemia, de gratidão aos trabalhadores e voluntários anônimos, assim como aos profissionais da saúde que estão atuando diante de um desafio mundial e de esperança a todos os brasileiros.

A missa vai contar com uma mensagem de solidariedade e uma benção do Papa Francisco, vibrando pela chegada de dias melhores, e também com uma mensagem de dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da CNBB.

A cerimônia religiosa vai ser presidida pelo cardeal brasileiro dom Orani João Tempesta que explica que o cenário vai ser uma das sete maravilhas do mundo, considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO – o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro e o encerramento vai contar com um show da cantora Alcione.

De acordo com a CNBB, o objetivo é proporcionar uma homenagem para cada vida, além de humanizar este momento crítico pelo qual o mundo está passando, dando luz às vidas perdidas, que tendem a serem apenas estatísticas devido ao alto número de óbitos diários.

Por: Morgana Kelly

Write a Reply or Comment