Diocese de Anápolis: Movimento diocesano Pró-Vida de Anápolis promove a Marcha dos Santos Inocentes

Tempo de Leitura: 2 minutos

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A Diocese de Anápolis divulgou que o movimento diocesano Pró-Vida de Anápolis promoveu a Marcha dos Santos Inocentes.
  • A Marcha saiu da Catedral do Bom Jesus, às 09h, percorrendo algumas ruas do Centro de Anápolis.
  • O evento contou com a participação de várias paróquias, pessoas e movimentos ligados à defesa da vida.

A Diocese de Anápolis divulgou que na manhã de terça-feira, dia 28 de Dezembro, o movimento diocesano Pró-Vida de Anápolis, promoveu a Marcha dos Santos Inocentes.

Este dia em que a Igreja Católica celebra a Festa dos Santos Inocentes Mártires, que remete às crianças que foram massacradas em Belém, por ordem do rei Herodes, na intenção de matar Jesus.

A Marcha saiu da Catedral do Bom Jesus, às 09h, percorrendo algumas ruas do Centro de Anápolis. Logo após foi celebrada uma Missa na Catedral Bom Jesus que foi presidida pelo Padre Eli Ferreira, Padre Luís Carlos, Padre Ricardo e outros Padres Diocesanos, além do Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz que explicou que o movimento tem o intuito de levantar sua voz em defesa dos pequeninos e manifestar seu repúdio ao aborto, classificado por São João Paulo II como “crime abominável e vergonha para a humanidade”.

À frente da marcha dos santos inocentes, o padre Luiz Carlos, também responsável pela associação Pró-vida de Anápolis, afirmou que houve a colaboração no evento da Comunidade famílias novas, entre Religiosos e Religiosas, e de Leigos(as). Ele ressaltou também que a intenção da marcha é chamar a atenção pública para defesa e a inviolabilidade da vida humana, e protestar contra o aborto e sua legalização.

A Marcha dos Santos Inocentes acontece desde o ano 1989 e foi instituída pelo então bispo da diocese, dom Manoel Pestana Filho. O evento contou com a participação de várias paróquias, pessoas e movimentos ligados à defesa da vida.

Por: Morgana Kelly

Desafios de uma Igreja em saída: O que é? A importância da atitude Missionária e as ações práticas em sua construção

Tempo de Leitura: 2 minutos

RESUMO DA NOTÍCIA

  • O que muitos católicos e muitas católicas tem se perguntado é o que seria essa Igreja em Saída.
  • É uma Igreja que toma a iniciativa, sem medo de ir ao encontro dos afastados, de chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos.
  • O Papa Francisco aposta na missionariedade da Igreja, de modo que nas palavras do próprio Santo Padre “hoje todos somos chamados a esta nova ‘saída’ missionária”.

Desde que assumiu o pontificado que o Papa Francisco insiste na tese de “Igreja em saída”. Este termo foi cunhado pelo papa na exortação apostólica “Evangelii Gaudium”, que traduzido para o português significa “a alegria do evangelho”, mas o que muitos católicos e muitas católicas tem se perguntado é o que seria essa Igreja em Saída.

Segundo o Pe. Jackson Maioli Alvarenga da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Setor Balneário Meia Ponte na Arquidiocese de Goiânia, é uma Igreja que toma a iniciativa, sem medo de ir ao encontro dos afastados, de chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos. Isso significa dizer que “a Igreja não é um ‘para si’, mas um ‘para os outros’. E o modo para atingir essa Igreja em Saída é o contato próximo com as pessoas. É o pároco, os movimentos eclesiais irem até onde as pessoas estão.

Para concretizar a proposta de uma “Igreja em saída”, o Papa Francisco aposta na missionariedade da Igreja, de modo que nas palavras do próprio Santo Padre “hoje todos somos chamados a esta nova ‘saída’ missionária”. Uma Saída sem medo de enfrentar os cenários e os desafios próprios da missão evangelizadora da Igreja.

É um convite a uma “nova prática” eclesial, porque, na visão do Papa Francisco, “não se pode deixar as coisas como estão. O Monsenhor Daniel Langini, Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe em Goiânia destacou o convite do Papa para que a atuação da igreja se dê em ‘estado permanente de missão’ já que a igreja em Saída não pode estar fechada em uma única comunidade, em um único objetivo. É preciso que a palavra de Jesus seja levada ao conhecimento senão de todas, mas da maioria dos seres humanos. O Monsenhor Daniel, ainda lembrou que a missão foi uma das primeiras práticas da Igreja e jamais poderá ser colocada em segundo plano, porque faz parte da sua natureza e continuará para sempre.

A Igreja no Brasil tem buscado colocar em prática o apelo do Papa Francisco na construção de uma Igreja em saída. A Campanha da Fraternidade, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB anualmente, dedicou o ano de 2020 às ações práticas de cada pessoa, grupo pastoral, movimento, associação, Igreja Particular, enfim, o Brasil inteiro nessas ações. Primeirar, Envolver, Acompanhar, frutificar e Festejar são os caminhos que a Igreja tem buscado. Nesse caminho cada cristão deve usar o seu dom, o seu talento, na construção de um mundo melhor. A construção da Igreja em Saída deve ser uma tarefa de toda a igreja: Bispos, padres, freiras e leigos. A Igreja em Saída é uma Igreja que nas próprias palavras do Santo Padre tem o objetivo de “Sair em direção dos afastados, dos excluídos, sair em direção às periferias humanas”.

Arquidiocese de Goiânia: Grupo AAVE divulga balanço anual de 2021

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A Arquidiocese de Goiânia tem como sede da Pastoral da AIDS: o Grupo AAVE.
  • Em 1995 o grupo iniciou seus trabalhos em favor das pessoas soropositivas usando espaços cedidos pela Catedral Metropolitana e Colégio Santa Clara em 2000 e na Matriz de Campinas.
  • Para explicar o balanço de 2021, a presidenta Tâmara Fabíola Gonçalves explicou que o trabalho do grupo é organizado em três eixos.

A Arquidiocese de Goiânia tem como sede da Pastoral da AIDS: o Grupo AAVE. No auge da epidemia de AIDS no Brasil em 1995 o grupo iniciou seus trabalhos em favor das pessoas soropositivas usando espaços cedidos pela Catedral Metropolitana e Colégio Santa Clara em 2000 e na Matriz de Campinas que cedeu uma sala onde funcionou a primeira sede do grupo.

Posteriormente surgiu a necessidade de um lugar maior para oferecer cursos serviços as pessoas soropositivas e suas famílias e em foi adquirida uma casa Ampla e organizada que atenderia essa necessidade.

Para explicar o balanço de 2021, a presidenta Tâmara Fabíola Gonçalves explicou que o trabalho do grupo é organizado em três eixos. O 1º eixo: Acolhida as pessoas soropositivas. O 2 º eixo: Educação e prevenção do HIV e o 3º eixo: Advocacia.

Ela também ressaltou que em 25 anos o grupo AAVE já atua com mais de 56 mil ações de atendimentos nas áreas de Apoio e acolhida, 365 toneladas de materiais recicláveis coletados das ruas e 70 mil doações aos seus usuários.

Somente durante a pandemia e em 2021 foram doadas duas mil cestas básicas às pessoas que vivem com HIV e mais de 40 mil pessoas já foram atingidas em ações de educação e prevenção do HIV realizadas em escola, empresas e comunidades.

A primeira conferência temática local sobre DST e AIDS foi em parceria com Conselho Municipal de Saúde e três campanhas para regularização do repasse da Fórmula infantil para bebês expostos ao HIV foi uma atuação junto aos Conselhos Estadual e Municipal de Saúde há mais de 10 anos. O grupo foi envolvido na implantação do Conselho local de saúde dentro do Hospital Estadual de Doenças Tropicais sendo atuante no local, desde a sua criação.

Segundo a presidenta, “as pessoas atendidas pela Associação Grupo Aids: Apoio Vida e Esperança sofrem preconceito, são condenadas e por isso a presença da Igreja quer mostrar a opção de Jesus pelos pobres, doentes e excluídos pela sociedade”.

Por: Morgana Kelly

Diocese de Mozarlândia-Rubiataba: Paróquia Santa Maria Mãe da Igreja realiza Vigília Nossa Senhora de Guadalupe

Tempo de Leitura: 1 minuto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Em Goiás, a Paróquia Santa Maria Mãe da Igreja, situada na cidade de Nova América, na Diocese de Rubiataba-Mozarlândia, vai oferecer aos seus fiéis um momento de júbilo e alegria.
  • No próximo sábado, dia 11 de dezembro vai acontecer a Vigília Nossa Senhora de Guadalupe que durará de 14h30 às 00h.
  • Esta será preparada e conduzida pelo padre José Maria Oliveira e pela Comunidade Contemplativa da Divina Misericórdia.

Em Goiás, a Paróquia Santa Maria Mãe da Igreja, situada na cidade de Nova América, na Diocese de Rubiataba-Mozarlândia, vai oferecer aos seus fiéis um momento de júbilo e alegria. No próximo sábado dia 11 de dezembro vai acontecer a Vigília Nossa Senhora de Guadalupe que durará de 14h30 às 00h, será preparada e conduzida pelo padre José Maria Oliveira e pela Comunidade Contemplativa da Divina Misericórdia, fundada pelo Padre José Maria e pelo padre Adalberto.

Segundo o Padre José Maria, esta inciativa terá a presença de Dom Francisco Agamenilton, bispo diocesano, que estará na Vigília e também o seminarista Bruno Maria na ordenação diaconal. Na oportunidade, ele convida a todos a participarem.

A programação musical da última e quarta vigília do ano vai contar com Vilmar e Helen. Ao longo do dia, incialmente às 14:30h, o momento será de oração e animação, às 15hs terá o Terço da misericórdia, às 15h30 será um tempo de reflexão sobre a Misericórdia, às 16:20 terá a Oração que é feita individualmente (exorcismo), às 17hs um pequeno intervalo, às 18hs a comunidade volta para o momento Mariano Cenáculo, às 19hs vai ter a Reflexão sobre a oração do Santíssimo, às 19h50, louvor e adoração, às 20h uma pregação sobre a importância da Eucaristia e posteriormente a todas estas atividades a missa conclusiva da Vigília.

O Padre José Maria ressaltou que a vigília será realizada com o objetivo de ser uma preparação a mais dos seus fiéis quanto ao natal e as orações subirão ao céu como intercessão e clamor pela Misericórdia sobre a humanidade inteira.

Por: Morgana Kelly

1 2